quinta-feira, 17 de março de 2005

Eu, eu mesma. Eu mesma, eu.

Sou assim e não mudo.
E tantas coisas que são defeitos meus e que eu faço questão de ter. De verdade, faço questão.
A minha personalidade forte exige muitos e muitos contras, e poucos (mas necessários) prós. Falo (muito) palavrão e tenho o calo grande. Ele é bem fácil de tu pisar, entende? E quando pisam, dou escândalo. Mas só se não tiver muito ocupada. Caso contrário, te brigo (muito) só depois.
Trato mal quem me trata bem. E trato super mal quem não merece minha consideração.
Empresto dinheiro e faço favores, e depois só te cobro respeito.
Não ligo para o que pensam de mim. Mentira, eu ligo. Mas por mera curiosidade e vontade de saber o que passa na cabeça de quem não me conhece.
Celulares, telefones, física e gente burra me dão ânsia de vômito. E não costumo tentar ser bacana só pra variar um pouco.
Sou independente; odeio mimos e odeio muitas outras coisas.
Com relação às pessoas, amo poucos, sou indiferente à muitos. Não entro na vida de ninguém. Falsidade não é comigo. Muito menos falta de caráter. Eu acho que considero até demais as pessoas. E me fodo bastante com isso. Mas depois eu fico bem; porque os outros se fodem 3 vezes mais depois (mentira?).
Quando corro, passo por cima; quando ando, peço licença.
Quem é meu amigo sabe que sou de falar o que sinto por eles; não escondo nunca. Quem não é... só lamento. Deixa eu ser egocêntrica e dizer que tu perde um pouco por isso.

=)

Nenhum comentário: