terça-feira, 19 de setembro de 2006

Café e anos 40.

Meu pai é o entrevistado dos sonhos de qualquer jornalista metido à besta.
1h30 de conversa falando sobre algo aparentemente desinteressante: sociedade brasileira nos anos 40. Fugi da Literatura até, pra ver se fluía melhor. Acertei bonito, tá?

"Já vai dar 10 horas! Estou aqui falando há uma hora e meia de graça!"

Sem falar nas piadas infames que ele solta pra minha mãe.
- Essa caneta é boa?
- É... é ótima. Dizem que não fala mal de ninguém.
(...)
- Deixa eu ver.. é piloto né?
- Não, é não. É comandante!

Preciso estudar.
O PAS se aproxima né?
Que carma...

Nenhum comentário: