quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

Falar menos. Fazer mais.

Eu sempre me perguntei por que me dou tão mal com a minha mãe na maioria do tempo. Na verdade a gente não se dá "tão mal"... falando da forma como falei parece que temos uma relação ódio-e-ódio. O que acontece é que a gente simplesmente... não se dá! Ela me irrita e eu não demonstro. Eu a irrito e ela espalha pros quatro cantos do mundo o que eu fiz de errado ("você não me ajuda", "você não colocou água no copo", "você não encheu as garrafas", "você não ligou pro salão pra saber quanto deu a conta esse mês"... - olha aí minhas atitudes como são rebeldes e capazes de justificar o estresse doentil da mulher).

Não quero detonar minha mãe aqui não, mas é que sou o tipo de pessoa que se empolga facilmente durante as críticas. Chato isso, han.

Mas eu finalmente descobri (16 anos nessa busca incessante - adoro esse termo, 'busca incessante') o que ela faz que mais me irrita (dente outros defeitos top 5, claro).

Tal qual TODAS as mães do mundo, ela fala demais. Mas MUITO mesmo. Mas o pior não é isso. Dona Tânia fala fala fala... fala fala fala, fala um pouco mais e... não faz nada. Sem ação. Inerte. Semi-viva. Vegetativa. Quase isso. Não confundir achando que ela não faz nada da sua vida que não seja pressionar o indicador no controle remoto. A velha trabalha pra caralho, isso eu devo dizer aqui. Mas não é desse tipo de ação que eu falo. Vamos lá, Bia. Se concentra pra listar as críticas. [ melhor parte ]

Daquelas que diz: preciso emagrecer. Senta e come metade de um queijo-manteiga (acompanhado de pão francês e um doce qualquer). Ou repete a refeição. Ou escolhe a sobremesa mais prejudicial à saúde.

"Tenho que comprar um tênis pra ir caminhar..." Só que passa o dia trabalhando, chega em casa e liga a tevê. "Tô cansada demais!".

Me irrita muito quando ela lembra, no meio de uma conversa social, entre suas amigas, que eu/ela tem que fazer alguma coisa específica e diz algo do tipo: sim, Beatriz, temos que marcar seu endocrinologista! Ou então: Beatriz, pegou o telefone do táxi?! Quando na verdade eu estou à mesa comendo uma tapioca e pensando só em que biquini vou usar caso vá à praia no dia seguinte. Providências que não tem nada a ver com o momento, sabe? Mas ela "me lembra de fazer" assim do nada. Não sei por quê. Acho que pra dar uma de eficiente.

Mas se fosse só isso seria ótimo! O pior mesmo é quando ela reclama que EU não sei fazer alguma coisa que ELA também não sabe! Segue um sermão de que eu devo aprender aquilo mas ela NEM FALA em aprender. Aliás, não deve nem passar pela cabeça dela em aprender a tal coisa.

Pois é, bróder. Eu sou meio como meu pai no quesito tecnologia. Analfabeta em computadores, entende? Menin, por favor, nem lembre isso à ela! É uma ladainha e uns xingamentos sem fim. Juro que, teve um dia (provavelmente de TPM) em que minha auto-estima estava mais negativa do que já é, que as coisas que ela falou por eu não saber mexer em computador me deixaram deprimida. Vão de "burra" e "ignorante" pra baixo. E o engraçado é que ela sabe menos do que eu. E usa as suas cinco décadas de vida pra justificar não saber de nada disso. Eu não gosto e não quero aprender. E pronto.

Eu não sei ajustar o relógio do carro, e tenho preguiça de aprender a programar o som do veículo(é só ir mexendo mexendo e programa, né? Eu SEI como é mas na hora assim.. não sei. Teoria sim, prática não), e isso pra ela é o fim da picada. Mas aí, adivinha: ela também não sabe! "Beatriz você deve aprender!!!". E ela fala como se meu futuro profissional e pessoal dependesse 200% de saber ajustar relógio e programar as estações de rádio. Só que Dona Tânia não está nem aí se NÃO SABE nem LIGAR o som não é mesmo?

Vem cá, ainda tenho a obrigação de sorrir e ser doce com a minha procriadora? Santa paciência né.

~~ eu não me aguento mais escrevendo. Só sai porcaria. Se continuar desse jeito eu surto.

~~ aulas perto de começarem! (é "começarem" ou "começar" que eu uso aqui?)

Um comentário:

Gamiani disse...

Porrada!

Muito bom isso q eu li.
M<inha coroa é parecida em muitos aspecstos, pois é mais fácil jogar a culpa nos ouyros do que assumir a respondabilidades dos aotos e ou da falta deles.

Parabéns!

cadupinheiro100@hotmail.com