terça-feira, 6 de março de 2007

Com claustrofobia

É assim que eu fico sempre que tenho que andar pela cidade na hora do "rush". Natal deixou de ser o símbolo de praias bonitas e provincianismo pra virar cidade concreto - pra mim. Já não considero mais a cidade perfeita pra viver. Você ainda?

Juro que a quantidade recorde de semáforos e de carros jogando suas baforadas de gás carbônico me faz pensar algumas dezenas de vezes antes de sair de casa. São os mesmos fatores que me fazem pensar outras dezenas de vezes em que cidade eu preciso/devo morar futuramente. Sem trânsito, menos semáforos, quantidade mínima de carros. Ruas de barro, talvez. Muito verde e pouco cê ó dois.

Ontem algum professor citou na aula que em Natal são emplacados 2 mil carros 0km por MÊS. Hoje, outro professor falou que entre Natal, Fortaleza e Recife, a que mais vende carros 0km e que conseqüentemente mais prejudica a atmosfera e agrava o aquecimento global é Natal - isso saiu em duas revistas de circulação nacional. As estatísticas me enojaram.

Criei uma avessão a shoppings centers e a lugares lotados fora do normal. Me incomoda tanto concreto se erguendo e tanta gente fazendo percursos inúteis nos seus 0km. Me dá ânsia de vômito a cidade grande.

Nenhum comentário: