domingo, 29 de abril de 2007

Então o post de hoje vai ser sobre aniversário.

A ironia da vida nem me surpeende mais. Entrei no msn pra falar com o Júlio pra que ele falasse alguma coisa mundana e eu tivesse uma idéia sobre o que escrever aqui. (Nossas conversas às vezes rendem mais que qualquer outra coisa)

Aí eu cometo o maior deslize da minha vida e esqueço que é aniversário dele. Não queria dizer que ele teve que me lembrar que hoje fazia anos; mas, bem, seria bom dizer pra que eu pudesse me arrepender sempre que lesse esse post.
Mas não, Júlio, eu não vou falar sobre você. Vou falar sobre esse dia único do ano que as pessoas têm o costume de comemorar.

Sempre fui revoltada com aniversários. Tá, eu sei que fiz festinha de 15 anos até, mas mesmo nessa época eu já não gostava muito da data. Não sei ao certo porque; mas eu lembro que exatamente depois desse ano eu passei a odiar ainda mais.
Depois desse dia concluí que o volume de pessoas interesseiras no mundo é muito maior do que eu imaginava; e que a quantidade de pessoas pobres a fim de comida e bebida de graça é mais imensurável ainda.

Foi com isso que eu comecei a pensar no motivo de se comemorar aniversário. Atingi a conclusão de que não há nada mais ridículo.
As pessoas são medíocres ao ponto de "esperar" um dia no ano para aplaudir a própria vida ou a do outro; para agradecer e pedir saúde para alguém; para abraçar o amigo e desejar que este seja feliz; para presentear (seja com bens materiais ou não); para dizer palavras de bom agrado ou para dar atenção demasiada a alguma pessoa.
Mesmo com tanto vídeos estilo "filtro solar" por aí, as pessoas não conseguem pôr ações desse tipo em prática no seu cotidiano. Continuam na mediocridade das festas, das bebidas, esperando um motivo para comemorações.

Desculpa, mas, hoje não é só aniversário do Júlio. É o meu, o seu, o de todo mundo. Da mesma forma que Júlio não faz aniversário só hoje. Fez todos os dias que se passaram na vida dele; todos os minutos; todos os instantes. Somos eternos aniversariantes. Temos motivo de sobra pra comemorar e não conseguimos fazer isso com a devida freqüência.

Portanto lembre-se que todo dia é seu aniversário, e também o de todas as pessoas que estão ao seu redor. Comemore junto com elas, então! Por mais clichê que isso pareça, comemore a vida. Não espere aquele diazinho que restou no ano, que foi o qual você nasceu. E feliz aniversário - pra todos nós.

(Tá, tá, especial pra você Júlio. E sem mais felicitações. Não vou me contradizer com o que disse. Eu desejo coisas boas à você todos os dias, mesmo que em silêncio. Assim deveria fazer os demais. Mesmo que de forma disfarçada, comemore a vida do próximo, se tiver vergonha de dizer todos os dias palavras que o mundo banalizou (a frase "eu te amo" está aqui)).

Nenhum comentário: