quinta-feira, 21 de junho de 2007

As pessoas são carentes.

Você passa a semana inteira vendo alguém todas as tardes, e ao chegar a um aniversário, numa sexta-feira, tendo estado durante toda a tarde daquele dia próxima àquela pessoa e ter conversado com ela algumas vezes, ela acha um absurdo você não cumprimentá-la com dois beijinhos frescos e um sorriso de quem não a vê há algum tempo;
Você também não pode ir embora dessa mesma festa sem se despedir dessas pessoas! Sim... você as viu segunda, terça, quarta, quinta, sei lá, a semana toda, todas as tardes ou manhãs, está vendo agora à noite, e sabe que as verá no dia seguinte, mas, enfim, dê tchau, cara, "seja educado".
Olhe nos olhos de cada uma delas na hora dos cumprimentos de chegada e de saída, viu? Se der um "oi" geral não vale; elas novamente acham um absurdo, olham pra você e em tom irônico dizem: Oi, Fulano! (Aqui existe a alfinetada: 'fala não é?').
Te cobram cartas de aniversário. Te COBRAM, cara. CARTAS, bróder. Te cobram palavras de carinho e expressões que as emocionem; te cobram um estado de espírito específico que você só tem de forma espontânea; mas elas cobram esse estado de você para que você possa escrever os dizeres. Bicho, dessa forma nunca será especial. Mas elas querem se sentir especiais recebendo cartinhas ou presentes e por isso cobram esses frufrus incansavelmente.
Se você não sorrir é porque ou tu tá de mau-humor ou está triste com elas! A-hã, você não tem o direito de ter um problema particular, tá?

E depois eu que sou a problemática.

Nenhum comentário: