quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Tem umas coisas na nossa sociedade

que eu acho massa, sabe.

Dia desses umas conversas estranhas entre minha mãe e o síndico daqui do prédio colocaram umas pulgas atrás da minha orelha, e eu batalhei muito tentando entender do que se tratava antes de perguntar à patroa (é que nem sempre ela tá super a fim de responder às perguntas idiotas da sua filha altista e alheia aos problemas domésticos). Mas findei perguntando. Era uma história da janela, da varanda, do janelão, sei lá o quê (tá vendo? "Alheismo" total). Só sei que a confusão era que a proprietária do apartamento não tava a fim de bancar algum tipo de reforma, que por envolver a infra-estrutura do prédio, sei lá (de novo?), ela que teria que pagar, e não minha mãe. Mas daí do nada mamãe soltou "porque ela tá querendo voltar pra cá". A mulher assim, deixou no ar que, a qualquer momento, caso ela surte ou queira "sair da rotina" e dar uma variada na vida, vai mudar-se de volta pra cá e despejar a gente.

Olha que massa, bicho. Você tem um imóvel, põe ele pra uma família alugar, e vai morar em outro, PRÓPRIO. Mas aí, a pobre família que alugar teu imóvel, estará sempre à mercê (escreve assim?) das suas vontades loucas de querer voltar um dia a morar no seu antigo pedaço de concreto. Eu estranhei, cara, porque foi aí que eu prestei atenção no descaso que se é dado.

É tipo assim: oh, tô te alugando, tá? Mas a qualquer hora pode ser que eu não queira mais brincar de receber teu aluguel e daí queira voltar pra cá. Você? Você se vira! Não tenho nada a ver com a sua vida, porra.
Eu saquei assim. E não é possível que assim não seja.
Sociedade do séc. XXI = individualismo pride. Individualismo, narcisismo, egocentrismo, egoísmo. Elevados à infinita potência. Humanismo zero.

A lei é essa!
Aliás, a galera tem brincado de pisar nos outros não é de hoje. Eu ia dizer que era desde, por exemplo, o Renascimento e as Revoluções Burguesas, mas aí foi só quando esses podres apareceram explicitamente mesmo. (Capitalismo, aparício). É tão intrínseco ao ser humano essas características... Mas a compaixão também é (ou pelo menos deveria ser). O sentimento de irmandade, bróder, cadê?
Aquelas coisas ruins lá são do ser humano mas não precisam necessariamente ser da sociedade. Porque as coisas boas também são do homem por natureza, e no nosso convívio social andam faltando. No nosso Mundo.

Por que sempre você antes dos outros e não os dois juntos?

Não esqueça que, nesse mesmo Mundo, nós também somos simples inquilinos. Assim como na vida. Assim como no tempo.

Nenhum comentário: