segunda-feira, 21 de abril de 2008

Conta aí uma novidade.

E assim tem sido. Notícia vai, notícia vem, Isabella, Alexandre, Anna Carolina (com dois "n" mesmo?), contradição, ódio no coração, mentiras, histórias bem contadas, histórias mal contadas, um absurdo, outro absurdo, polícia, fotografias, manifestações e cartazes, todo mundo pedindo justiça.

O assunto não é outro, sabe-se. Qualquer estrangeiro que esteja há 8 minutos nesse país sabe tanto dessa notícia ao ponto de ser capaz de construir um almanaque sobre isso. Sozinho. Não há descanso da imprensa, nos jornais televisivos, de papel ou virtuais. Não há quem não comente sobre essa atrocidade, e devaneie sobre as possíveis causas para esse crime. Não há quem não tenha discutido isso ainda. Como também não há um simples "táime" nas investigações.

Realmente, assusta qualquer pessoa normal e em sã consciência, um pai jogar a própria filha pela janela. E a madrasta, mãe de dois filhos, ajudar no processo. Não foi dado o veredicto, mas não há outra possibilidade ou versão do caso para o que aconteceu.

Enquanto isso, todo brasileiro cria uma repulsa horrível à essas pessoas, repulsa mais que compreensível, claro. Todo brasileiro está revoltado, surpreso, e incompreende como alguém seja capaz disso. Um bandido? Tudo bem. É crueldade mas tá valendo porque é bandido. Mas um pai? Não, peraí, não é possível. É assim que se pensa.

São 180 milhões de expectadores para esse caso, eu digo. Mas uma coisa é certa. A justiça vai ser feita, não há como não ser. Está mais do que claro e mais do que em caminho andado que a decisão final está próxima, e que não receberá influência dos reais assassinos, porque estão todos estupefatos com isso; todos, sem exceção, querendo reproduzir o que foi feito e prender quem tem culpa numa barbaridade dessas.

Portanto, eu agora só vejo o caso Isabella como um dispositivo para tirar a atenção do brasileiro dos demais problemas recorrentes e antigos (ou até novos) do Brasil. Não tiro a razão de quem está com ódio desse casal, de quem se sensibilizou com o que houve. Eu também estou assim! Eu também não queria acreditar que seria possível uma coisa dessas! Mas ninguém vai deixar barato. Quem está investigando está mostrando fazer um trabalho muito bem feito, e está inspirando confiança.

Há mais de vinte dias pouco se noticia sobre demais crimes e violência nesse país, sobre corrupção e mentiras no Congresso, sobre o planeta, que continua se aquecendo, e perdendo suas geleiras, sobre a fome e a chuva, que, com certeza, devem permanecer matando montes.

Os jornais têm papel importantíssimo nisso. Quando não é Isabella, é futebol para 'aliviar' e distrair (mais ainda). Repito: a justiça será feita! Não há possibilidade de retrocesso, e o que devemos fazer é aguardar. E ir manifestar também contra os demais problemas desse país... Esses, sim, influenciam muito mais na vida de cada um.

Nenhum comentário: