segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia da mulher o que, omi.

Cheguei hoje de manhã na academia né, com aquela preguiça costumal e aquela vontade de chegar logo a melhor parte do treino (o término). Mal entro e lá vem a dona da academia, em trajes não-típicos de donas de academias (jeans mais justo impossível, salto agulho e ouro, muito ouro): "parabéns!, meus parabéns! Parabéns pelo seu dia!"

Aaah, sim. Era Dia Internacional da Mulher. Se ela não tivesse dado os parabéns para a outra senhora que estava do meu lado, com a mesma falsidade com que fez comigo, eu não teria me lembrado. Me diga aí, você se não for machista, faz sentido pra você toda essa comemoração?

A gente faz filhos, beleza. A gente toma de conta deles. A gente é foda. Tudo certo. Mas, você (se for mulher), não se irrita quando fica todo mundo te dando os parabéns dia 08 de março só porque você nasceu mulher? Pra mim não faz o menor sentido. Já existe o Dia das Mães (e quando eu for mãe, vou merecer os parabéns nesse dia); já existe nossos respectivos aniversários... A depilação não sai de graça nesse dia, o salão de beleza e a manicure não ficam mais baratos, e as lojas de sapatos nem ensaiam liquidação. Qual o propósito, então? Além de tudo isso, nem é feriado, nem os nossos cabelos amanhecem todos felizes conosco, muito menos a TPM ou a menstruação deixam de aparecer. Tudo igual. Tudo normal.

E eu reclamaria mais se a noite não tivesse terminado com um show de Roberta Sá, de grátis, em plena Praça das Flores. Por favor, se o impossível for possível, não deixem de me avisar no dia que essa mulher(!) deixar de ser ótima...

Nenhum comentário: