terça-feira, 30 de novembro de 2010

Eu tô sem saco. Tô sem ânimo. Tô sem caminho. Tô sem vontade. Tô com tristeza. Estou sem audácia. Estou por demais vencida. Estou cansada. Tô com o medo. Tô com o cansaço. Tô com a fraqueza. E não sou mais uma só. Tô sem fome. Tô sem nada. Estou à toa. Estou sem saber de nada. Estou sem saber por quê. Estou só o desgaste. Estou sem ser mais nada. Estou sem ser mais tudo. Estou no limbo. E tô no sonho. Ou é pesadelo. Eu já não sei. Estou sem saber. Estou sem vida. Estou com pena. Estou sem mim. E mais cansada. Cansada não sei do quê. Estou assim, sem nada, porque não há o tudo, mas somente o nada. Estou sem meio. Estou só o fim. Sou o fim. Isso é o fim. Estou vazia. E assustada. Estou com caminho e sem os passos. Estou sem pés. Estou com preguiça. Estou com raiva. Estou sem mais nada. Não sou mais nada. E(u) não sou mais nada.

Nenhum comentário: