quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Ei.

Pare de pensar. E vá viver. Pare de refletir sobre tanta coisa. De imaginar como seria se tivesse sido, como seria se não tivesse sido, ou como não seria se tivesse sido. Pare de achar que é tudo tão determinante assim. Que a causa e a consequência estão aí como grandes irmãs. Elas nem existem na vida real!, esqueceram de te contar. E de contar a mim também. Eu que só percebi ante-ontem.

Deixe de devaneios. Sempre. Deixe de "e se", e de danar a palma da mão na testa pra demonstrar e mostrar a si mesmo algum arrependimento. Deixe de lado as decisões demoradas, que são justamente aquelas que começam com essa expressão de condição. Esqueça.

Esqueça a idéia. Esqueça os porquês, os poréns e os talvez. Esqueça de pensar as palavras. Fale-as. Viva-as. E tu tens só o dia de hoje para tanto.

(...)

Nenhum comentário: