domingo, 3 de junho de 2012

Uma livraria que vive de best sellers?

Não pode! Não, não pode.

Eu ontem fui mais uma vez à Nobel da Rua Potengi, em Petrópolis, onde até cartão fidelidade já tenho. A fidelidade nem é tanta, e o desconto muito menos, mas essa coisa de capitalismo funciona, e você fica fazendo de tudo para comprar lá, e não em outros lugares.

Mas, sempre que vou lá, fico chateada. Poucas vezes tem os livros que procuro. A livraria tem uma vitrine colorida, decorada, tem um povo educado que te atende, e um dono presente - coisa que pouco acontece. E, daí, ela é estreita de frente e comprida para trás. Então, você vai andando, andando, andando, até chegar no último compartimento da livraria, onde fica o café, onde quase sempre a luz está apagada (!), e onde ficam os livros de literatura nacional...

Está lá o coitado do Drummond, Vinicius, Machado de Assis e amigos. Uns poucos amigos. É só uma estante para eles. Uma do lado que tem umas coleções, e só. Todo o restante da livraria está abarrotado de best sellers. E por isso a vitrine colorida, chamativa, os livros de cores e formas e texturas (?) diferentes. Sei lá. Então é só disso que a livraria se mantém?

Ô moço, o livro Meio Intelectual, Meio de Esquerda, tem aqui?
Não. De quem é?
(Como assim de quem é, filho da puta?). Do Antonio Prata.
(Finge que olha no sistema e volta. Mas como não se chama, sei lá, Comer, Rezar e Amar, ou 127 coisas para ser feliz, é claro que ele sabe que não tem.) Não, tem não.

Voltei lá de novo, perguntei de novo. Não, de novo, não tinha.

Outra vez que voltei, procurei pelos autores potiguares... Cadê os Jovens Escribas? Nada.

Ontem outra vez.
Ô moço, vocês tem algum livro dos Jovens Escribas?
Jovens Escribas? ... Deixa eu ver...
(...)
Olha, não. Essa editora não é filiada à gente não.
Não? Uai, acho que tem eles lá na outra unidade de vocês.
Tem?!?!?!?
Se eu não me engano, sim. Eles fizeram até evento lá semana passada.
Hm... Ah, essa editora é daqui?
É.
Ah, é porque eles têm que vir até a gente. Eles nunca vieram aqui.

(...) Guardei o meu "sério, filho?".

 Falei na hora de pagar. Porque se você reclamar ou der sugestões, sem estar pagando nada, eles não vão dar importância ao que você vai dizer.
- Olha, sinto falta de quando venho aqui, de literatura nacional...
- Ah, filha, é porque, você sabe, né, a gente vende o que as pessoas compram... E o que a rede manda aqui para gente. Eles compram os blocos de livros, e vão enviando. E aí é o que a gente vende! Infelizmente, olha, eu juro, se fosse por mim, metade desses livros que estão aqui, não estariam! Eu venderia só literatura nacional (UUUUHUM), mas, infelizmente, não é bem assim.
- E vocês não podem sugerir, não?!
- Podemos, mas... Mas... Quem disse que eles vão acatar? Você sabe como é, né, não adianta.

- Certo, e, os livros dos Jovens Escribas, por que vocês não vendem aqui?
- Porque eles nunca vieram atrás da gente.
- E vocês não podem ir atrás deles não?!

Saí de lá com a garantia de que entrariam em contato com a editora. Dei sites e nomes. Ainda ouvi um "ah, as pessoas não sabem, mas aqui no estado existem mais de cem escritores...". Por que a justificativa? Você tem uma livraria que quer viver de best seller. Não justifique. Sem desculpas. Cem desculpas, depois, também.

Em breve, de nada vai me servir esse cartão fidelidade. Estão acabando os livros bons, e ficando só os americanos coloridos de vitrine. Vou fazer o que lá?

Espero que o recado seja acatado. Tive a impressão de que não, mas, esperarei.

5 comentários:

Fábio Farias disse...

Que revolta!

Viva a estante virtual!

Kursch disse...

Ia comentar o mesmo que fábio... Mais barato em pratico pela net. O problema eh que você se limita as indicações de amigos, difícil para descobrir novas coisas.

Biazetz disse...

não, gente! eu só quero livrarias melhores na minha cidade. esse post não é por mim, é pelos outros.

Júlio Cézar disse...

pra que você quer livrarias melhores? digo... nem todos são como você, CULTA e REFINADA. a maioria só quer comer, rezar e amar. quem tem internet e um pouco de boa vontade encontra tudo por lá mesmo. as livrarias não tem condição de por a mostra todo o catalogo delas.

Anônimo disse...

tem dias que júlio ta chato.