sábado, 7 de julho de 2012

É por aí.

Mais difícil que fingir-se de morto: fingir não existir.

Nenhum comentário: