sexta-feira, 22 de março de 2013

Quando será que

Quando eu deixar de ser psicóloga, eu vou virar pra todos meus amigos psicólogos e acrescentar a todas minhas frases: "você que é psicólogo, entende o que eu estou dizendo".

Quando eu deixar de ser psicóloga, eu vou perguntar sobre qualquer tema humano desumano subjetivo da ordem do cosmos exigindo resposta esclarecedora e coerente: "ei, você que é psicólogo, me explique por que...".

Quando eu deixar de ser psicóloga, eu vou sentar na roda dos psicólogos com a mão no queixo e os óculos hipsters, fazer cara intelectual, e depois de oito minutos de discussão, sorrir com o canto da boca. Se me perguntarem o que foi, vou dizer que não foi nada.

Quando eu deixar de ser psicóloga, e qualquer pessoa vier justificar coerentemente um assunto difícil para mim, vou interrompê-lo dizendo: "eu sei bem, já fui psicóloga e...".

Quando eu deixar de ser psicóloga, não vou ser toda ouvidos. Vou ser mais boca que ouvidos. Em verdade, vou ser mais letras que ouvidos. Vou ser mais letras ouvidas.

Quero só ver.

Nenhum comentário: