domingo, 9 de junho de 2013

Esse não falar

Um silêncio bruto. Um constante não dizer, não mais querer falar. Um silêncio constante. Cortante.
Essa vontade de dizer com os olhos, de conversar com ouvidos e imagens. Sem barulho, sem som, sem grito. Sem ousadia de ferir o zumbido mudo suspenso.
Pois que o sussurro grita, e o barulho mata, e minhas rezes não cessam.
É preciso o silêncio para ser eu mesma. Que ninguém ouça.

Nenhum comentário: