quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Não ser sempre assim

Me deu susto olhar para a gente assim. Me deu dó e dor, ainda mais que avisaram. O que havia antes era a situação de mais conforto, e por isso mais valor daí pra cá. E fui avisada; há quem aja assim, no duplo, na espreita, e em haver menos vantagem, não existe mais máscara.

Entrei na sala e vi você antiga, à moda antiga, eu quero dizer. Como antes, como nos velhos tempos, como nós. Quando foi dali para fora era outra, era nova, ou na verdade era tu bem velha, bem tu, e eu me assustando com o zíper do rosto assim escancarado. Que não pudesse ser, era só impressão.

E fiquei me perguntando pelas amizades que duram realmente para sempre. Ficam poucas.

2 comentários:

Deyze disse...

Ficam poucas mesmo...

Deyze disse...

Ficam poucas mesmo...