sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

A história tem passado

Espere mais. Eu acho mesmo que estou escrevendo aqui um romance. Em todos os sentidos que essa palavra possa ter. Veja, isso leva tempo. Veja como me leva o tempo, como isso me leva o tempo, e cá estamos já, tantos meses depois que já fazem anos.

Espere mais que... parece que esgotei com as palavras. Perdi-as todas, parece que não há nada mais para dizer. Visto que eu já disse tudo, mas e aqui comecei a história pelo começo de todo o começo. Aliás, pelo prólogo, aquela parte que justifica o começo e a obra completa, daí, exato, tudo o que se sucedeu depois. Comecei de lá e não devia de parar mais. Mas paro. Penso e choro e não escrevo quase nada. Tudo isso porque preciso espremer e esgotar e esfregar todas as palavras possíveis a cada capítulo. Esganar cada capítulo. Preciso despejar o tudo para que não sobre mais nada.

Quando terminar, não é pra sobrar mais nada.
Quando terminar, não vai sobrar mais nada.
Quando terminou, não devia de ter sobrado mais nada.

Nenhum comentário: