domingo, 16 de fevereiro de 2014

Fica difícil escrever

E aí fica cada dia mais difícil escrever. Não sei porque. Parece que eu tenho medo da reprovação da plateia exigente, que sou eu, só. Sou eu que leio o que escrevo, e falo mal do que tá escrito e me recuso a continuar lendo. Tudo ruim. Tu soubesse a quantidade de posts com alcunha de "rascunhos" têm sido salvos por aqui, escondidos a sete chaves e a um clique. É tudo a prova de que só posso ser uma pessoa muito diferente daquela que escrevia num suspiro. Ou numa única tomada de fôlego.

Aí falta fôlego. Falta coragem, coragem do tipo expôr o rosto em forma de texto; expôr o corpo e a história da gente toda. Tem horas que ninguém quer saber. E tem horas que todos (duas pessoas) querem saber se aquela vírgula escrita foi uma indireta ou um menção nada honrosa a um fato infeliz. Eu às vezes tento dizer que as palavras não são autobiografias. Mas em se tratando de não-escritores, são sim, eles dizem, são sim. Sua palavra é a autobiografia.

E se for mesmo, então tá aí, a resposta de por que eu não consigo mais escrever.

Um comentário:

Maíra D disse...

nem me leio mais
senão paro de vez
e os rascunhos... deus me livre! aquilo sim assusta

(às vezes penso que é por isso que escrevo poesia e não prosa - são menos palavras e aparentemente menos exposição)