quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Agora, sim, pode começar

Não seja radical. Não tenha nem fale ideias radicais. Aliás não fale demais. Nem fale de menos. Não seja calado, principalmente não seja calado. E não diga tudo o que você pensa. Seja mais discreto. Seja mais amigo. E tolere, tolere muito. Tolere as pessoas e as ame um pouco mais, mesmo sem recíproca. Você precisa delas. Você não pode ser sozinho. Então não diga o que você (realmente) pensa. Não acredite que as pessoas querem que você seja realmente sincero. Ninguém quer sinceridade. Ninguém quer a sua sinceridade. Não seja muito diferente. Se for pra ser muito diferente, procure um grupo onde todos tenham por objetivo serem muito diferentes e se aceitam assim mesmo. Fica mais fácil. Exato, sempre vai ser difícil, sempre vai ser impossível de tolerar, mas tolere. Seja você mesmo alguém mais fácil. Não fale de si. Qualquer pessoa pode usar qualquer uma de suas frases contra você. E vai usar. E você não vai ter quem te defenda. Você nunca vai ter quem te defenda. No fim das contas você sempre vai estar sozinho mas tem que se esforçar para não estar sendo alguém que você não é realmente que é para ser menos sozinho. Ou acreditar que não é tão sozinho quanto de fato o é. E você vai ser o último a saber. Mas não se importe. Não chore demais. Não reclame muito. Não fique perdido! Decida logo onde você vai estar e o que vai fazer e por quê. Pessoas indecisas não hão de ser aceitas, e não dá pra ser assim. Ninguém tem paciência com a sua tristeza, também. Só desejam que você tenha paciência com a tristeza delas. Então não espere muito. Não espere nada. Elas não se importam. A regra principal é esperar quase nada que hão de lhe dar - não hão de lhe dar nada, no mais das vezes, e quando isso acontece o preço pode ser caro. E nunca deixe que saibam que você sabe desse tudo. Guarde e vá em frente. Que seja assim desde o começo.


Agora que a vida terminou, já pode começar.

Um comentário:

Júlio Cézar disse...

CALMA, HOMI