terça-feira, 11 de abril de 2017

alguns minutos no dia

acho que quando decidi começar a meditar foi um tanto sem muito propósito, meio desconfiada de que ia conseguir, também. não tinha grandes objetivos, mas achei que me faria bem, que deveria tentar mesmo parecendo algo bobo.
não é. ficar minutos se concentrando na própria respiração ainda é uma das coisas mais difíceis que já tentei na vida, que tenho tentado.

camila disse que posso sempre tentar só alguns minutos, menos de cinco até, o ideal é não fazer sem vontade, não continuar quando estiver achando ruim. ela indicou também o som da chuva e eu ponho. fecho os olhos e não sei se, dos cinco minutos que fico, quantos eu realmente consigo me concentrar nessa respiração ao contrário (encher a barriga enquanto inspira o ar; expulsar o ar secando a barriga - o contrário da respiração que a gente pensa que acalma, aquela que inspira forte sugando o ar do mundo inteiro).

mas acontece uma mágica que o pescoço "destensiona" nos primeiros minutos. parece que eu desabo tirando pesos de cima de mim,
e de fato duro poucos minutos, porque depois de um tempo eu já não consigo mais manter a ideia de que devo ficar ali só respirando, sem pensar em nada.
e quando decido terminar me dá um banzo, um médio sono, uma disposição em existir, também, e uma ausência de ansiedades e de sintomas deprimidos. ao mesmo tempo. não me sinto pressionada a pensar positivamente nem me sinto invadida por algo de triste e pesado. fica um vazio bom.

continuo tentando.

Nenhum comentário: