quarta-feira, 31 de maio de 2017

lê-se

hoje eu precisei faltar a aula da tarde (mas estava no mahalila às 17h30, pois, adulta madura colocando lazer como prioridade) porque fui buscar mamãe na rodoviária (trajeto novo impossível de fazer pois não há placas 'rodoviária'), PORÉM fiz o dever de casa que era ler dois contos: menina a caminho, de raduan nassar; menina sem palavra, de mia couto.
já tinha lido os dois,
pois tenho os dois livros,
e já li raduan porque, enfim, merece post à parte depois, mas ele é uma das escritas mais fascinantes na literatura brasileira contemporânea, tenho certeza,
e li esse de mia couto porque ganhei o livro de presente e me dei uma chance.

nunca gostei muito de mia couto, todas as vezes que li. não compraria um livro dele, mas não evitaria lê-lo se estivesse ao meu alcance ou muito menos deixaria de assistir a uma palestra com ele. eu tendo a ser bem insistente com escritas que não gosto, porque bem sinceramente não me acho no direito de dizer que acho algo "ruim", ou de julgar de jeito parecido. no máximo digo que não gosto. mas até nisso me sinto mal.
aula passada questionei o professor por que ele gostava tanto de mia couto. era só pra saber as razões mesmo; eu não quis confrontar nem me convencer.

continuo sem gostar e isso me deixa até meio triste, porque me sinto meio pedante com isso. afinal ele é internacionalmente reconhecido como escritor, e como bom escritor. quero justificar meu preconceito e revertê-lo, mas, enfim, foi difícil, pra mim, ler esse conto de quatro páginas hoje.
nas vezes que li o autor, fiquei com a ideia de ler boas histórias, no sentido do conteúdo; histórias criativas, bonitas, muitas, com sensibilidade e sentimentos bem impressos. isso é real nele. mas acho que o bicho exagera muito no poético, na forma em detrimento do conteúdo, no neologismo, e chega a ser tudo muito forçado pra mim. gosto do que é mais despretensioso - em todos os aspectos possíveis.
mas vou seguir lendo outras coisas dele.
pode ser processo.


~~

por falar em poético e brega e em não gostar de algo que lê,
nos últimos meses tenho escrito com alta frequência no medium.com,
e a ideia de que quanto mais você escreve, melhor você escreve, não tá funcionando muito pra mim nesse período. o exercício não tem melhorado minha escrita, acho. tô achando tudo meio ruim, brega demais, piegas demais. talvez seja o caso exceção de se dar um tempo e voltar a escrever num depois.
até porque tenho esperança real de terminar o romance que comecei.


~~

esaú e jacó começa massa e segue massa mas de repente fica excessivamente arrastado e difícil de dar sequência.
eu queria dormir, mas tenho de terminar o livro nas próximas horas.

Nenhum comentário: