quarta-feira, 31 de maio de 2017

pulsão

há alguns dias que eu penso que lembro que sou alguém muito incapaz de sentir raiva. muito. eu não sinto. tem muita situação que provoca raiva em todo mundo, que acontece diretamente comigo e deveria me provocar raiva, mas isso não acontece. não tomei tanto psicotrópico na vida pra ter um efeito em longo prazo como esse. nem acho que meu sistema límbico seja anormal.
deve ser uma defesa.
nessa onda de "não sinta raiva pois quem experimenta algo ruim é você blabla" eu despretensiosamente virei a gótica e abandonei meu direito de me indignar com o que possam considerar besteira. a raiva começa assim, consideram besteira o que te deixa puto e isso te deixa ainda mais puto e com mais direito de ter raiva. acho coerente, inclusive. sigam fazendo isso.

e nessa sintonia bizarra, termina que júlio me manda hoje esse link, https://beauvoriana.wordpress.com/2017/05/31/sobre-uma-raiva-que-eu-estou-sentindo/
sem sequer saber que eu andava pensando nessas questões.
logo em seguida comecei a falar ininterruptamente por tudo que eu vinha pensando e sentindo em relação a isso, e ele só respondeu que não fazia a mínima ideia de tudo. só mandou o texto por mandar. e não por sentir, a quilômetros de distância, o que eu vinha passando ou sentindo.
acontece.

planejei separar esse link e levar pra minha psicóloga sexta-feira e debater com ela o porquê de eu não conseguir sentir raiva de nada nem de ninguém; canalizar tudo pra uma melancolia que beira o ridículo, muitas vezes.
não deu tempo.
aconteceu um acontecimento (!!!) hoje muito besta, muito pequeno, mas que pra mim foi mais prum desastre, tá sendo,
e minutos depois me vi esmurrando a parede do banheiro.

:)))
finalmente.



ainda tô sentindo essa coisa ruim, porque, de fato, sentir a raiva faz permanecer o sentimento de revolta em você, somente em você,
mas acho que é/foi importante sentir simplesmente por experimentar isso. colocar e deixar de fora. (mesmo raciocínio de escrever algo "pesado" mas escrever e apenas deixar-lá.)

não foi nem tá sendo necessariamente bom, mas pelo menos importante acho que sim.
é uma pulsão necessária. uma pulsão que faltava. que ainda falta, acho.

talvez eu fique melancólica de novo logo talvez eu fique ansiosa talvez eu tome mais um banho sem necessidade e lave louças excessivamente e arrume a casa sem parar e fique sem conseguir expulsar sentimentos necessários por pura vergonha ou defesa,
mas espero que não haja um recalque prum sempre.

não é bom sentir raiva, mas achar que não tem o direito de tê-la é muito pior.

Nenhum comentário: