quarta-feira, 21 de junho de 2017

aparentemente, encontrei um erro conceitual importante no livro de fiorin explicando bakhtin.
ele inverte os conceitos de forças centrífugas e forças centrípetas da linguagem, em um momento apenas. depois "se contradiz", ou seja, fala o conceito corretamente.
mas mandei um e-mail pro professor, antes de escrever pro próprio fiorin. (tô pensando em fazer isso sim, já que é um conceito importante e complicado estar explicado de forma invertida; nem todo mundo percebe, ainda mais que o livro é ajudando a entender bakhtin).

na página 135, fiorin fala assim:
"a epopeia é a expressão das forças centrífugas que agem sobre a linguagem e, por isso, é monológica. o romance é a materialização das forças centrípetas e, por isso, é dialógico."
mas o inverso é o verdadeiro.

tanto que na página 138 ele enfatiza os conceitos:
"nas línguas, como já se disse, atuam forças centrípetas e centrífugas. aquelas buscam o fechamento, a unidade, a homogeneidade; estas, a abertura, a diversidade, a heterogeneidade. aquelas aspiram ao monologismo, estas buscam desvelar o dialogismo constitutivo."

~

preciso mandar apertar meus óculos.

~

comecei a ler o quadrinho "você é minha mãe?", de alison bechdel.
tô gostando do estilo.
ela lê e entende e comenta muito de psicanálise, de winnicott, de freud, e mais,
e isso só me lembra que eu deveria ler e entender e comentar com facilidade sobre esses assuntos também.
sempre que o assunto psicanálise surge as pessoas olham pra mim como se eu soubesse tudo sobre.
eu não faço a menor ideia de nada.

Nenhum comentário: