sexta-feira, 2 de junho de 2017

mikhail

Se não se pode estudar a literatura isolada de toda a cultura de uma época, é ainda mais nocivo fechar o fenômeno literário apenas na época de sua criação, em sua chamada atualidade. (...) Quando tentamos interpretar e explicar uma obra apenas a partir das condições de sua época, apenas das condições da época mais próxima, nunca penetramos nas profundezas dos seus sentidos. (...) As obras dissolvem as fronteiras da sua época, vivem nos séculos, isto é, no grande tempo, e além disso levam frequentemente uma vida mais intensiva e plena que em sua atualidade. 


(...) uma obra não pode viver nos séculos futuros se não re´´une em si, de certo modo, os séculos passados. Se ela nascesse toda e integralmente hoje (isto é, em sua atualidade), não desse continuidade ao passado e não mantivesse com ele um vínculo substancial, não poderia viver no futuro. Tudo o que pertence apenas ao presente morre juntamente com ele. 




(Mikhail Bakhtin, Os estudos literários hoje - Resposta a uma pergunta da revista Novi Mir)
Texto dos anos 1970.
Fizeram uma pergunta e em resposta ele escreveu um ensaio.

E o que ele chama de ensaio na verdade são LIVROS hoje publicados pela editora 34.
~

Nenhum comentário: