segunda-feira, 24 de julho de 2017

perspec

pensar o estágio deprimido como fundo do poço me parece errado. mais correto pensar que é um poço sem fundo. 
sem fim, uma queda constante. 

é difícil começar uma semana assim, e acho que tenho de repensar sobre medicamento outra vez. não sei se vale resistir um pouco mais, se tô exagerando ou se tá certo mesmo de ir. sinceramente mal consigo saber.
mas de fato cada baixa tem sido disparada por acontecimentos que poderiam ser detalhes, e não são. e em cada baixa dessas eu tenho a sensação quase nítida de que meu corpo não aguenta muito mais; falando concretamente, em aspectos físicos mesmo. parece que ele tá exausto, e tá mesmo. vem desde janeiro isso. 

e termina que tem dias que fico me perguntando até quando vou estar assim, se num sempre, se sempre vou ter de me preparar pra isso ou de conviver com isso. eu olho pro futuro e nem vejo futuro. antes eu olhava sem esperança, agora olho sem perspectiva, como se ele não viesse a existir. e aí fico me perguntando se sinceramente vale a pena continuar estando assim. se vale a pena continuar vivo se não se consegue ser feliz, por mais que tente. 

parece que as possibilidades esgotaram e eu sinto isso numa mistura terrível de angústia e desespero, mais do primeiro que do outro. 

Nenhum comentário: